Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Vulneráveis, Sem Desculpas

por Nuno Costa Santos, em 16.02.15

Só tenho um amigo que ouve Go-Betweens no Spotify e isso quer dizer que o mundo não anda bem. "The World Won’t Listen", já dizia quem sabe. Felizmente no universo da edição ainda quem se interesse pela melhor poesia. Acaba de sair “G Stands for Go-Betweens: Anthology Volume One, 1978-1984” (EMI).“I Loved the Go-Betweens because their songs felt so vulnerable, without apologies”. A frase é de um critico do Guardian. Só mudava o tempo verbal para caracterizar a minha relação, ainda hoje, com a música destes australianos orgulhosos. Ouvir Go-Betweens é acreditar na beleza das coisas, muitas vezes debaixo de uma chuva primaveril (“Spring Rain”, sim).

 

Dois nomes na dianteira desta literata rapaziada (o nome da banda vem do livro de L.P. Hartley “The Go-Between”): o ácido Robert Forster e o doce Grant McLennan. Conheceram-se em Brisbane. Um continua a passear a sua esguia e charmosa figura onde bem lhe apetece e transformou-se em crítico musical. O outro, homem terreno de sorriso são, morreu de ataque cardíaco aos 48 anos. Desde a morte do segundo aquele mundo que não os segue ficou a saber que Forster não se imagina a subir ao palco sozinho.

 

gobetweens.jpg

 

O primeiro período dos Go-Betweens está aí para consumo entre duas selfies. É mais agreste, mais experimental, mais doido. Compreende remasterizações dos vinis “Send Me a Lullaby” (1982), “Before Hollywood” (1983) e “Spring Hill Fair” (1984), este já macio e quente. E um álbum intitulado “The First Five Singles”. Mais: quatro CD’s, que trazem demos, lados b, actuações ao vivo com temas que nunca chegaram a ser. O crescimento em público de uma banda que foi tornando mais arrumado o som com os anos – até atingir uma espécie de perfeição em “Streets of Your Town”.

 

Box.jpg

 

Mais aqui

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:11



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D