Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Impura Literatura

por Nuno Costa Santos, em 16.09.13

Andei com dois livros às cavalitas nos últimos meses - livros que falam a mesma língua, que partilham os mesmos códigos, a forma de entender a literatura e a arte em geral. "Reality Hunger", de David Shields (Vintage Books), e "Chet Baker Pensa na Sua Arte", de Enrique Vila-Matas (Teodolito). Não me parece que o americano Shields e o catalão Matas andem a partilhar scones na Padaria Portuguesa de Telheiras e ambos defendem o mesmo: o romance convencional já não chega lá. Que não basta a historinhazinha, a trama branda, as personagens bem desenhadas mas sem fogo. Que a realidade, contraditória e conflituosa, está a reivindicar atenção. Que é necessário assumir o quase sempre evitado "eu" - um "eu" que não é o ego tout court, é um jogo literário arriscado entre a a vida e a ficção. Joga-se, fala de si já sendo outro, expõe as suas obsessões, cria as suas próprias armadilhas. É uma defesa de um caos que faz sentido, procurando ser mais próximo, como se diz no livro de Vila-Matas, da "realidade bárbara e muda, sem significado, das coisas". Exigente e diverso nessa procura da "nebulosa do ser verdadeiro". Um ser múltiplo e incapaz de, como compreendeu Pessoa, ser domesticado numa obra bem comportada.

O livro de David Shields, assumindo-se como um manifesto, é uma provocação. Uma boa, corajosa e necessária provocação com sentenças como esta: "Some of the best fiction is now being written as nonfiction". E "I want books to be equal to the complexity of experience, memory, and thought, not flattening it out with either linear narrative (tradicional novel) or smooth recount (standard memoir)". Pode-se discordar ou defender a opinião liberal de que a convivência de registos, narrativos e não narrativos, é desejável e permite ao leitor gastronomias literárias complementares. Em todo o caso é pertinente esta emergência, em diferentes territórios do globo, de uma literatura impura ou de uma impura literatura. Confusão procurada de géneros, citações, rasgos, apetites.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:45



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D