Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Que desejo vais pedir para 2014?

por Nuno Costa Santos, em 31.12.13

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:27

Cristão

por Nuno Costa Santos, em 22.12.13

"Eu sou naturalista e, como tal, pouco afeiçoado aos deuses. Simpatizo porém com o que há no sentimento cristão de puro ideal, de humano, de eterno. Neste sentido, não tenho dúvida em me dizer cristão, apesar de não pertencer a igreja alguma... engano-me! exactamente por não pertencer a igreja alguma...".

Antero de Quental, "Prosas", Vol.II

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:34

Raiva

por Nuno Costa Santos, em 20.12.13

O tempo está a pedir livros raivosos e este é um livro raivoso. Uma raiva que nada tem de ressentimento. É uma raiva de zanga com o pouco  ou nada que nos vai cabendo mas também a esperança ferida de quem quer, de quem acredita. Claro que isto é literatura e a literatura não se basta com desabafos sobre o estado das coisas, sobre a opressão social, sobre manifestações, sobre o desespero. A literatura é forma, é jogo, é tocar nos grandes temas (o amor, a morte, a família, mesmo que já se não exista), é ordenar o caos com os termos certos. Estes são facas. São tiros. Brutais, muitas vezes, irónicos, outras  - e por isso ainda mais perfurantes.  

Já conhecia o texto teatral de Filipe Homem Fonseca – “Azul a Cores” é um portento dramático sobre a crueldade a que pode chegar a vidinha a dois. Agora passo a conhecer a prosa literária, sob o formato de um romance a várias vozes, impuro, cheio de referências à actualidade e cravejado de frases fabulosas como "O país está cheio de crimes violentos, paixões loucas e boa pastelaria", “a bandeira nacional gigante que poderá um dia servir de mortalha a uns quantos de nós”, “o mundo parece diferente quando visto através da mira de uma arma. Parece que estamos a ver televisão” e “Não me considero uma pessoa pessimista. Sou? Acham que sou? Nunca previ nada tão mau como isto, como posso ser pessimista? Só previ o fim do mundo. O que aconteceu foi muito pior”.

Nestas frases está o espírito de “Se Não Podes Juntar-te a Eles, Vence-os” (Divina Comédia, 2013). Um livro que nos dá uma cabeçada. Que irritará quem considera que a literatura não deve passar por aqui, por este boxe verbal no qual uma certa ideia de política e de humanismo entra no ringue. Não me parece que o livro seja um um manifesto, embora se perceba que há salpicos de fúria pessoal na forma como se lançam as frases e se faz  - através dos  monólogos e diálogos- considerandos negros sobre uma asfixia económica e social, sobre o apocalipse das possibilidades. Faz-se de histórias, de boas histórias, de sentimentos selvagens, que deixaram de se esconder, de reflexões sobre a morte, sobre o enterro cada vez mais fundo de Deus, sobre o acaso, sobre o absurdo de viver.  E isso é que é mais importante. Isso é que o torna artístico, literário, transcendente.  Lembro-me, ao lê-lo, do estrangeiro Meursault na personagem que aceita matar porque sim, porque já nada tem a que se agarrar, mas também recordo "La Haine" e um outro filme que vi recentemente, “Um Toque de Pecado”, de Jia Zhang-ke. Tal como nesse filme, "Se Não Podes Juntar-te a Eles, Vence-os" faz-se do desespero de  personagens que se violentam a si próprias com o sangue dos outros. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:51

Mochilinha

por Nuno Costa Santos, em 19.12.13

O mais velho e eu escrevemos as histórias. O mais novo ilustrou-as. A atelier ESCRITÓRIO editora editou-as. O lançamento é no sábado, às 15h, na Loja dos Açores da Elias Garcia. O trabalho, que durou umas quantas tardes, foi muito divertido e meteu birras - do pai, claro. Não, não vamos enriquecer nataliciamente à custa desta obra canónica: todos os proventos dos direitos de autor vão para a Coração Amarelo, associação daqueles que fazem companhia a quem já não a tem. Apareçam e, quem os tiver, que leve os filhos. Pode ser que surja um livro novo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:23

Caixas

por Nuno Costa Santos, em 19.12.13

O problema de Portugal não são apenas as elites. A não ser que sejam só as elites a frequentar as caixas de comentários da versão online dos nosso jornais. É importante acabar com este mito difundido frequentes vezes pela intelectualidade lusa (pelo respeitável José Gil, por exemplo). Até para tornar o exercício de humildade e responsabilidade que é urgente fazer extensível a toda a população. Sou contra a forma vampiresca como o governo tem governado o país. Mas também sou contra a pequenez de espírito que armadilha muitos de nós.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:22

Observação

por Nuno Costa Santos, em 16.12.13

No circo os espectadores têm a ilusão de que os animais estão a perceber que as palmas são uma forma de agradecimento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:55

Da demolição ao elogio

por Nuno Costa Santos, em 16.12.13

A inveja é um pouco isto: enterrar os vivos para depois cuidar deles quando estão mortos. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:38

Infiel

por Nuno Costa Santos, em 15.12.13

Isto é muito grave, é. Neste campeonato confesso-me um banana - sou traído todos os dias na sala. Enquanto a minha cara-metade assiste às melhores séries, eu estou, a dois passos, refastelado na poltrona a sublinhar qualquer coisinha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:47

King

por Nuno Costa Santos, em 15.12.13

 Um escritor que não tem medo de dar boas entrevistas. Daquelas que tocam nos pontos que interessam, sem reservas (afinal de contas somos todos mais ou menos iguais, partilhamos o mesmo tipo de problemas). Ficou-me a relação compulsiva com a escrita e as histórias, com a família, com a terra, com os impostos, com os vícios, com a crítica, com o "mercado editorial": "Si mis editores me dicen que venga a París, es porque quieren vender libros. En las ferias de América trabajan chicas como gancho: se ponen en las puertas de los locales de striptease y mueven un poco el culo para atraer a los clientes. Aquí yo soy el que mueve el culo. En casa estoy en mi sitio, en la silla justa, escribiendo. Es ahí donde debo estar".

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:46

Ferreira Gullar

por Nuno Costa Santos, em 15.12.13

"Ando ultimamente grilado com esses exageros da natureza que não sei explicar". Acompanho o mestre Gulllar nesta crescente jornada pelos pequenos milagres do que nos rodeia - os que tendemos a esquecer no ruído das actualidades. Fiquei a saber no ano passado, enquanto nevava em Agosto nos Alpes, que não há dois flocos de neve iguais - cada um é uma figura única, rigorosamente desenhada, com seis vértices. Que desde que começou a nevar no mundo nunca houve dois flocos de neve iguais. Foi um deslumbramento que ainda hoje trago comigo. 



Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:45

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D