Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mundo na rádio

por Nuno Costa Santos, em 09.11.17

"Dois homens, na mesma casa, um pai e um filho, desempregados. O ator Manuel Coelho é o pai, um pai e um filho de gerações diferentes, mas de mundos diferentes, que talvez se encontre, à partida não saberemos. Um texto deste tempo para dois homens, aqui e agora. Pai e filho decidem viver juntos, numa casa barata de subúrbio, para dividiram as despesas, porque os dois perderam o emprego, mas rapidamente descobrem que afinal são dois animais humanos obrigados a viverem na mesma caverna"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:12

Web Summit 2017

por Nuno Costa Santos, em 09.11.17

FOTO4.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:08

Novo

por Nuno Costa Santos, em 30.10.17

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:33

Pai e filho

por Nuno Costa Santos, em 30.10.17

mundodistante.jpg

 

 

Sempre quis escrever uma peça sobre um pai e um filho. Se querem que vos diga, não sei explicar bem porquê. Talvez por ser das relações que mais me tocam - e por nela encontrar grande potencial dramático. Há muito (mais de dez anos) que remoo a ideia. Agora concretiza-se – e concretiza-se com um grupo decisivo de pessoas – o Eduardo Frazão e o Manuel Coelho, actores, e o João Rosa, encenador - com o qual fui construindo o texto, ao longo de aproximadamente dois anos, após um primeiro desenho e de esboços vários. Depois, em hora feliz, chegou também, para as letras de slam poetry, o Pedro FM da Silva, com quem já havia colaborado num programa em que ele aparecia na sua personagem Silva, o Sentinela. E o Vitorino Coragem, para a fotografia, sempre rara. Do Eduardo e do João havia visto uma encenação, da qual muito gostei, de “A Vida É Sonho”. E com o Manuel Coelho trabalhei em “Condomínio da Rua”, para o Teatro Nacional Dona Maria II, peça encenada por João Mota, que reencontro agora nos corredores do teatro.

“Mundo Distante” é sobre um pai e um filho que pouco conviveram durante anos e agora partilham o mesmo território. É sobre uma dança sempre imprevisível entre tentativas de aproximação e manifestações de ressentimentos mal arrumados. É sobre o afastamento e a possibilidade de as palavras ajudarem à sintonia de quem se distanciou pelo silêncio.
Escusado dizer que gostava muito que visitassem este universo.
Aqui fica a ficha técnica:
Autor: Nuno Costa Santos.
Encenação e versão cénica: João Rosa.
Intérpretes: Eduardo Frazão e Manuel Coelho (actor cedido gentilmente pelo TNDMII) .
Letras Slam Poetry: Pedro FM da Silva.
Desenho de luz: João Rosa.
Fotografia de cena: Vitorino Coragem.
Música para slam poetry: Gui Garrido.
Produção: Oficinas Teatro Lisboa.
Informações/reservas: geral@oficinasteatrolisboa.com
Tel: 93 451 24 18
Em cena até 26 de Novembro. De quarta a sábado, às 21h30, e domingos às 16h30.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Amanhã

por Nuno Costa Santos, em 20.10.17

Amanhã, às 17h30, vou estar em Campolide para falar do meu novo livro - e da minha relação com a freguesia e com o bairro, sobre o qual escrevi vários textos (além de lá ter gravado, com uma data de gente decisiva, uma série do melancómico).

 

absurda.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:11

Passeio

por Nuno Costa Santos, em 08.10.17

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:16

Fátima

por Nuno Costa Santos, em 05.10.17

Não sei já viu a série Fátima – Caminhos da Alma, a passar neste momento na RTP, em cinco episódios. Se não viu, aconselho que se junte à caminhada de 11 mulheres que partiram de Vinhais, Trás-os-Montes, em direcção ao santuário. 

O que se vê e se ouve? Pessoas a cumprir promessas na estrada, ao longo de nove dias e 400 km. O seu rasto biográfico. As maneiras de ser de cada uma delas – da sofrida à desbocada. Pouco? Muitíssimo. Estas mulheres – representadas por actrizes como Rita Blanco, Anabela Moreira, Cleia Almeida e Márcia Breia – espelham, com profana espontaneidade, uma certa maneira de ser portuguesa. E é aqui que João Canijo, o realizador do filme Fátima e desta série, que daí parte, consegue, através do trabalho com as actrizes, que muito jogam de si no improviso, fazer em Portugal aquilo que um Fellini, aqui lembrado a semana passada, fez em território italiano: fazer-nos comover e dançar com o grotesco, homenageando as nossas vidas imperfeitas. 

 

Mais aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:19

Antena 3

por Nuno Costa Santos, em 05.10.17

melancomico.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:24

A poesia que continua a crescer na clandestinidade

por Nuno Costa Santos, em 26.09.17

A poesia continua a mexer entre as novas gerações. Lemos o sétimo número da Apócrifa e fizemos uma visita às Terças de Poesia Clandestina, que agora estão no Desterro. Hoje há mais uma edição: a 73.

 

Mais aqui.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:38

Um Clássico Por Semana

por Nuno Costa Santos, em 26.09.17

A crónica da semana.

A crónica da semana.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:15


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D